O lucro da Sonaecom cresceu 4,5% no primeiro semestre deste ano, face a igual período de 2012, para 39,9 milhões de euros, anunciou esta quarta-feira a empresa que detém a Optimus.

Este aumento acontece «num contexto de forte contração económica e de quebra do consumo», refere a Sonaecom, em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Em igual período, as receitas da Sonaecom, dona da operadora que está em processo de fusão com a Zon, recuaram 1,8% para 399,4 milhões de euros.

«Esta quebra deve-se, sobretudo, à queda das tarifas reguladas [terminação e roaming] na Optimus, bem como à quebra do consumo das famílias e empresas», explica a holding que detém também o jornal Público.

O resultado antes de juros, impostos, amortizações e depreciações (EBITDA) subiu 1,6% para 126,6 milhões de euros, «com todas as áreas de negócio a apresentar uma evolução positiva no EBITDA entre os dois períodos».

«A Sonaecom apresentou no 1.º semestre de 2013 mais um forte conjunto de resultados, que assentam na resiliência do modelo de negócio adotado nas telecomunicações e no crescimento da atividade internacional da WeDo e restantes empresas da SSI», refere Ângelo Paupério, presidente executivo da holding.

No primeiro semestre, excluindo os custos com o processo de fusão em curso com a Zon, o EBITDA da Optimus cresceu 0,7% para os 122,7 milhões de euros, com a margem a atingir os 35,9%, mais 1,7 pontos percentuais que um ano antes.