O comissário europeu dos Assuntos Económicos destacou nesta segunda-feira o «valioso trabalho» feito por Vítor Gaspar como ministro das Finanças e mostrou-se confiante de que a sua sucessora, Maria Luís Albuquerque, mostrará um «compromisso e uma determinação» semelhantes.

«Gostaria de expressar a minha profunda admiração pelo valioso trabalho feito por Vítor Gaspar como ministro das Finanças português», que «mostrou um firme compromisso com as metas do programa de ajustamento económico desde que assumiu o cargo, em junho de 2011», afirmou Olli Rehn, numa declaração escrita citada pela agência Lusa.

O comissário europeu sublinhou o facto de Vítor Gaspar ter «ajudado a assegurar a adoção de muitas medidas difíceis, mas necessárias para restaurar a confiança na sustentabilidade das finanças públicas, num ambiente externo muito desafiador».

Sobre Maria Luís Albuquerque, que substituirá Vítor Gaspar e que até agora desempenhava as funções de secretária de Estado do Tesouro, Olli Rehn afirmou estar confiante de que mostrará um «compromisso» e uma «determinação» semelhantes aos do seu antecessor.

Maria Luís Albuquerque «tem sido uma figura-chave, trabalhando ao lado de Vítor Gaspar no Ministério das Finanças português durante estes anos difíceis», considerou o comissário, que disse não ter qualquer dúvida de que a nova ministra das Finanças «irá a assegurar uma transição sem sobressaltos».

Rehn referiu ainda que Portugal está a aproximar-se da fase final do seu programa de assistência financeira, que «muito já foi feito» em áreas como a consolidação das finanças públicas, mas continuam a existir «desafios importantes», entre os quais a redução do nível de desemprego.

«É por isso que é essencial manter o ritmo das reformas e trabalhar para ampliar o apoio ao programa» de assistência financeira português, acrescentou o comissário, referindo que a Comissão Europeia vai continuar a «apoiar os esforços de Portugal para regressar ao crescimento sustentável e alcançar o pleno acesso aos mercados».

Vítor Gaspar apresentou hoje o pedido de demissão do cargo de ministro das Finanças numa carta enviada ao primeiro-ministro, em que refere que a falta de «mandato claro» para concluir atempadamente a sétima avaliação da concretização do programa de ajustamento português não lhe permite continuar no cargo.

Maria Luís Albuquerque vai tomar posse na terça-feira, às 17:00, no Palácio de Belém.