As ações da Galp atingiram esta manhã um máximo nos 13,34 euros, estimuladas pelo ganhos do setor lá fora, com o preço do petróleo a disparar depois do ministro do Petróleo da Arábia Saudita ter sugerido uma ação conjunta para estabilizar os preços da matéria-prima, segundo analistas citados pela Reuters.

A petrolífera é que mais ajuda do principal índice português e, depois do máximo, ganha agora 0,81% para 13,185 euros. Já o PSI20 segue no verde em 0,14% para 4,825 pontos.

Ganhos mais evidentes esta manhã também por parte da Sonae Capital (+2,22% para 0,643 euros) e da Corteira Amorim (+0,68%B para 8,299 euros).

Pela negativa, os CTT que abriram em alta, não aguentaram, e já descem 0,01% para 7,092 euros. Os investidores continuam a penalizar a empresa pelos resultados abaixo do esperado.

Com nota negativa está também a Pharol. Desce 1,12% para 0,177 euros, penalizada pelos resultados da empresa brasileira da qual detém cerca de 27%, direta e indiretamente. A Oi teve um prejuízo de cerca de 188 milhões de euros, consequência pela recessão no Brasil, do disparo dos custos de financiamento e a dura competição no setor. Apesar dos resultados negativos, o presidente executivo da Oi, Marco Schroeder, disse que a empresa prevê consumir menos fundos este trimestre, depois do pedido de proteção de credores submetido em junho que, temporariamente, poupa a companhia a pagamentos de dívida.

A travar um melhor resultado no PSI20 está ainda a Jerónimo Martins que desce 0,26% para 15,240 euros.