O IRS desce em 2018, mas para os mais ricos só mesmo por via da eliminação da sobretaxa criada em 2011, na altura em que a troika entrou em Portugal. Há, no entanto, uma exceção: os recibos verdes que ganhem mais de 3.000 euros vão pagar mais. O Orçamento do Estado já foi apresentado e a Deloitte fez simulações para a TVI24 para percebermos quanto vão poupar os portugueses em IRS. Há contas para os vários casos e níveis de rendimento de trabalhadores por conta de outrem, pensionistas e trabalhadores independentes.

Como o Governo decidiu criar mais dois escalões (veja aqui as novas tabelas), que resultam do desdobramento do 2º e 3º escalões, passa a haver sete, no total. É entre o segundo e o quinto escalões que vai haver impacto para os rendimentos mais baixos. Serão beneficiados 1,5 milhões de famílias. Há uma novidade também: o limite mínimo do sexto escalão, de 45%, é reduzido para 36.856 € que é, no fundo, o limiar a partir do qual há um efeito nulo da descida do IRS.

Por outro lado, como a subida do mínimo de existência passa a ser de 8.980 €, qualquer pessoa que ganhe 641 euros mensais deixa de pagar qualquer imposto de IRS.

Só com as tabelas de retenção - que ainda não são conhecidas nem se sabe quando é que vão ser - é que perceberemos quanto vamos pagar de IRS, em cada mês, logo a partir de janeiro e, nessa altura, quanto é que os contribuintes poderão encaixar a mais, em termos líquidos. 

Por agora, as simulações são, apenas, sobre a poupança no pagamento que teremos no IRS ao final do ano.

Salários e pensões 

Solteiro

Quem ganha cerca de 630€ por mês já não pagava sobretaxa em 2017, pelo que em 2018 a poupança é graças ao alívio decorrente dos escalões de IRS. Será à volta de 320€.

Já quem recebe entre 1.000€ e 3.000€ conseguirá poupar mais ao final do mês, graças ao fim da sobretaxa que pagou em alguns meses de 2017 e, também, porque o IRS vai baixar, com o desdobramento do 2º e 3º escalões.

Os mais ricos, que auferem entre 6.000 € e 10.000 € por mês, não vão sentir alívio no IRS apenas pelo fim prometido da sobretaxa.

Rendimento mensal  Rendimento anual Quanto poupa em IRS em 2018 Diferença % 
630 € 8.820 € - 320 € -100%
1.000 €  14.000 € - 175,25€ -10,96%
2.000 €  28.000 € - 552,92 € -8,98%
3.000 €  42.000 € - 769,05 € -6,76%
6.000 €  84.000 € - 2.008,86 € -6,82%
10.000 €  140.000 € - 4.088,07 € -7,25%

* foi considerado o valor máximo relativo aos encargos gerais familiares no que toca a deduções à coleta

Casado com dois dependentes

Nos contribuintes casados, os cálculos são mais complexas, porque um deles pode estar desempregado e depois há, também, a opção pela tributação conjunta ou separada que faz diferir as contas ao final do mês.

As simulações da Deloitte especificam o que ganha um e outro cônjuge e, do bolo total ao final do ano, fazem as contas sobre o que poupam se entregarem a declaração conjunta ou separadamente.

Fizemos um apanhado, havendo sempre algumas nuances por causa dessas particularidades. Ainda assim, genericamente, é possível ter mais ou menos a noção do que as pessoas casadas, com dois filhos, neste caso, passam a poupar. 

Rendimento mensal Rendimento anual Quanto poupa em IRS em 2018 Diferença %
630 €   8.820€   0 € 0 %
1.000 €    14.000 € 

0 €

- 161,32€ (trib. separada)

0 %

- 16,38 %

2.000 €  28.000 € 

- 322,65 € (trib. conjunta)

- 261,54 € (trib. separada)  

- 16,38 %

- 9,92 %

3.000 € 42.000 €

- 551,09 € (trib. conjunta)

- 700,31 € (trib. separada) 

- 9,04 %

- 10,73 %

6.000 € 84.000 €

- 1574,24 € (trib. conjunta)

- 1786,32 € (trib. separada)

- 7,45 %

- 7,97 %

10.000 € 140.000 €

- 3.242,27 € (trib. conjunta)

- 3.520,96 € (trib. separada)

- 7,09 %

- 7,60 %

* deduções à coleta consideradas: dedução pessoal relativa aos dependentes e o valor máximo relativo aos encargos gerais familiares

Recibos verdes

Os trabalhadores independentes - ou recibos verdes - são os que menos poupam em IRS em 2018. Isso só acontece para quem ganha entre 750 € e 1.500 € por mês. De resto, vão até pagar mais.

Rendimento mensal Rendimento anual Quanto poupa em IRS em 2018 Diferença %
750 € 9.000 € - 728,75 € -100 %
1.500 € 18.000 € - 142,65 € -5,36 %
3.000 € 36.000 € + 1.182,20 € + 16,06 %
5.000 € 60.000 € + 3.787,14 € + 24,98 %
7.000 € 84.000 € + 5.947,14 € + 24,99 %
12.000 € 140.000 € + 12.200,41 € + 26,64 %

* deduções à coleta consideradas: valor máximo relativo aos encargos gerais familiares; para 2018 foi considerada a dedução de 4.104€.

Importante reter

  • 50% dos agregados familiares, em Portugal, já não pagavam IRS (parte estão no primeiro escalão e outra no segundo) 
  • 30% dos agregados vão beneficiar dos novos escalões
  • A taxa extraordinária de solidariedade mantém-se pelo 7º ano consecutivo, a onerar quem tenha rendimentos acima de 80.000 €/ano