O vice-presidente da Comissão Europeia responsável pelo Euro, Valdis Dombrovskis, comentou esta sexta-feira que os riscos associados à situação económica portuguesa exigem do país “responsabilidade orçamental”, assim como a continuação de reformas.

Numa declaração à Lusa na sequência da publicação do relatório específico sobre a situação económica portuguesa e os principais desafios (‘country report’), Dombrovskis aponta que a “retoma moderada” da economia portuguesa deverá continuar, apoiada sobretudo por uma forte procura interna, mas salienta que “há riscos relacionados com certas opções nas políticas orçamentais, assim como com a volatilidade do mercado financeiro”.

“É importante reduzir os elevados níveis de dívida – externa, privada e pública -, que tornam a economia portuguesa mais vulnerável, podem constituir um risco à estabilidade financeira e representam um obstáculo ao crescimento, à criação de postos de trabalho e ao investimento. Nessa medida, é necessária responsabilidade orçamental e reformas que visem desbloquear o potencial de crescimento da economia”, sustentou o vice-presidente do executivo comunitário.

No relatório divulgado esta sexta-feira, a Comissão Europeia afirma que “há riscos de deterioração” das perspetivas orçamentais deste ano, apontando as “incertezas que pesam sobre as perspetivas macroeconómicas, sobre possíveis derrapagens na despesa e os riscos de não haver acordo político sobre ulteriores medidas de consolidação para 2016”.