A ministra da Finanças, Maria Luís Albuquerque, afirmou esta quarta-feira que espera que seja possível reduzir em 2015 a carga fiscal imposta aos portugueses, admitindo que não houve condições para o fazer no próximo ano.

Governo contesta inclusão do Banif no défice de 2013

«Reestruturação da dívida «não resolve problema nenhum»

Ministra das Finanças reitera que cortes salariais não têm fim marcado

«Ainda não tivemos condições em 2014 para baixar a carga fiscal, esperamos que no orçamento de 2015 seja possível ter um pouco mais de folga para reduzir a carga fiscal que afeta os trabalhadores. É claramente uma ambição deste Governo reduzir a carga fiscal assim que seja possível», afirmou a governante que está hoje a ser ouvida na comissão parlamentar de Orçamento, Finanças e Administração Pública.

Maria Luís Albuquerque disse que o Governo «não tem condições para dizer que, no próximo ano, será possível repor as remunerações da função pública», mas garantiu que, «se houver condições para fazer essa reposição, parcial que seja, mais cedo», o Governo fará.

«Temos a convicção de que, sendo necessário fazer ajustamentos, estes são os ajustamentos que menos penalizam e economia e o futuro do país. Logo que haja condições reporemos as remunerações da função pública e dos pensionistas», garantiu.

Na proposta de lei do Orçamento do Estado para 2014, o Governo estabelece um corte que oscila entre os 2,5% e os 12% para os funcionários públicos com remunerações mensais superiores a 600 euros.