Para reduzir a dívida pública para o limite dos 60% do PIB ao ritmo recomendado pelo Tratado Orçamental Portugal precisa de ter, em média, excedentes orçamentais superiores a 5% do PIB nos próximos 10 anos, noticia o Jornal de Negócios, com os cálculos da OCDE no relatório anual sobre a zona euro.

Um esforço exigente mas que países como a Irlanda e a Bélgica conseguiram realizar no passado, mas que contrastam com o mau desempenho recente das finanças públicas portuguesas: a melhor média que Portugal conseguiu apresentar entre 1990 e 2009 traduz-se num défice orçamental de 1% do PIB.

Numa análise global, a OCDE reafirma que o pior da crise ficou para trás, embora inúmeros desafios e riscos permaneçam pela frente.