O Produto Interno Bruto (PIB) dos países membros do G20 aumentou 0,9% no terceiro trimestre em relação ao período homólogo anterior e ligeiramente superior ao acréscimo de 0,8% registado no segundo trimestre, anunciou a

Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico.

«Entre as economias do G20, a China registou o crescimento mais robusto, de 2,2%, superior ao acréscimo de 1,9% do trimestre anterior», sublinhou em comunicado a OCDE.

Também a Índia deu sinais de sólido crescimento, com um acréscimo da atividade de económica de 1,9% no terceiro trimestre, quase o dobro do aumento de 1% verificado entre abril e junho.

Mantiveram-se estáveis os dados da Indonésia e da Coreia do Sul, com acréscimos de 1,3% e 1,1%, respetivamente.

No mesmo período, nos Estados Unidos a economia cresceu 0,9%, no Reino Unido 0,8% e no Canadá 0,7%, adiantou a OCDE.

O PIB de México aumentou 0,8% entre julho e setembro, ultrapassando a contração de 0,5% verificada no segundo trimestre.

«Na Alemanha e no Japão, o crescimento trimestral do PIB manteve o perfil relativamente errático registado nos trimestres anteriores», sublinhou a instituição.

A economia alemã avançou 0,3%, depois de um acréscimo de 0,7% no trimestre anterior, enquanto a atividade no Japão cresceu 0,3%, menos que os 0,9% verificados no segundo trimestre.

No Brasil, o PIB caiu 0,5% no terceiro trimestre, a primeira contração da atividade económica desde o primeiro trimestre de 2009, que segundo a OCDE pode ser explicada em parte como reflexo do «surpreendente crescimento de 1,8% do trimestre precedente».

O PIB agregado da União europeia aumentou 0,2%, enquanto o da zona euro avançou 0,1% no terceiro trimestre.