A dívida pública portuguesa em percentagem do PIB é a quarta maior num conjunto de mais de 40 países analisados pela OCDE, apenas atrás do Japão, da Grécia e de Itália, segundo um estudo hoje divulgado pela entidade.

Segundo o relatório ‘ Government at a Glance’ (panorama governamental) divulgado hoje pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), a dívida pública portuguesa representava 130,2% do PIB em 2014, podendo descer para 127,7% em 2015 e para 124,2% em 2016.

Em 2014, ano de referência do estudo, a dívida pública portuguesa fica apenas atrás da dívida do Japão (que representava 226% do PIB), da Grécia (177,4%) e da Itália (132%), mantendo-se assim também nos dois anos seguintes, segundo as estimativas avançadas pelo ‘Economic Outlook’ divulgado pela OCDE em junho.


Este ano, a OCDE estima que a dívida pública japonesa, grega e italiana subam para 229,2%, 180% e 132% do PIB, respetivamente, antevendo, pelo contrário, que a dívida portuguesa desça para 127,7%.

A OCDE lembra que em 2013 o nível médio da dívida pública nos países da OCDE atingiu os 109,3% do PIB e que entre 2007 e 2013 o aumento foi de 34,7 pontos percentuais.
 

“As maiores subidas verificaram-se na Irlanda, na Grécia e em Portugal, que foram afetados severamente pela crise e alvo de programas de resgate”, lembra a instituição liderada por Ángel Gurría. Nessa altura, os encargos com as taxas de juro representavam 5% do PIB português, “sem grandes variações” no ano passado.


Sobre o Japão, a OCDE explica que “a maioria da dívida pública é detida por credores internos, o que contribui para uma emissão estável”.

Este relatório bianual, que vai na quarta edição, apresenta mais de 50 indicadores para comparar a performance dos governos em várias áreas, desde as finanças públicas, emprego e acesso a cuidados de saúde, educação e justiça.

Além dos 34 países da OCDE, o relatório deste ano inclui indicadores para países como o Brasil, China, Egito, Índia, Rússia, África do Sul e Ucrânia, num conjunto de 43 países.