O comércio externo continuou a aumentar no quarto trimestre do ano passado, face aos três meses anteriores, tanto no G7 como nos países emergentes que constituem os BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

Segundo os dados apresentados hoje pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), as exportações destes dois blocos aumentaram 2,1% entre outubro e dezembro, enquanto as importações apenas aumentaram 0,9%.

As vendas ao exterior aumentaram a um ritmo superior ao das compras no Reino Unido (3% em comparação com 1,4%), na Alemanha (2,4% contra 1,1%), nos Estados Unidos (1,7% contra 0,4%), na China (4,8% contra 1,6%), no Brasil (2,8% contra 0,5%) e em menor amplitude no Canadá (0,7% contra 0,5%).

Em Itália, no quarto trimestre, as exportações aumentaram 1,7% enquanto as importações diminuíram 0,8%, como na África do Sul onde as importações aumentaram 1,7% e as compras diminuíram 3,3%.

As importações aumentaram mais do que as exportações no último trimestre de 2013 face ao anterior no Japão (3,2% contra 1%) e em França (1,3% contra 0,9%). Na Rússia, as importações subiram 2,8% e as exportações diminuíram 2,4%.

No conjunto de 2013, as exportações aumentaram 2,3% e as importações subiram 1,1%.

A maior subida tanto das importações como das exportações ocorreu na Rússia (8% em ambos os casos), enquanto no Japão as mesmas diminuíram 6% e 10%, respetivamente.