Em outubro, 579 empresas foram declaradas insolventes, menos 29,3% do que o mesmo mês do ano anterior, segundo dados do Observatório de Insolvências e Constituições de Empresas, da IGNIOS.

A consultora de gestão de risco nota que este ano é considerado «atípico devido aos condicionantes processuais resultantes do mau funcionamento do Citius». Ainda assim, outubro é o terceiro mês em 2014 em que o número de insolvências mensais fica abaixo das 600, o que em 2013 só se tinha verificado em agosto.

No acumulado do ano, o número de insolvências registadas fixa-se em 5.698 em comparação com as 6.748 empresas insolventes no mesmo período do ano passado.

Ainda assim,. a empresa sublinha que «devido às condicionantes processuais no Ministério da Justiça, nomeadamente a instabilidade da sua plataforma Citius no final de agosto e grande parte do mês de setembro provavelmente não refletem a realidade a nível de insolvências».

António Monteiro, presidente executivo da IGNIOS, nota que «apesar destas restrições, é bastante claro que a partir do primeiro semestre se deu uma inflexão do crescimento progressivo que tinha sido registado até então para um consistente decréscimo das insolvências em Portugal. Adicionalmente, importa ainda não esquecer que também o rácio de insolvências /criação de empresas se alterou».