Os portugueses compram cada vez menos e são os consumidores europeus que mais reduziram as compras por impulso. Estas são as principais conclusões de um estudo do Observador Cetelem, que trata a evolução do consumo na Europa nos últimos cinco anos.

O documento evidencia as disparidades entre Portugal e o resto da Europa nos hábitos de 
consumo. Cerca de 71% dos consumidores portugueses compram menos atualmente do que há cinco anos, uma percentagem muito acima da média europeia, que se situa nos 52%. 

Quanto às compras por impulso, 74% afirmam tê-las reduzido, enquanto a média europeia fica nos 56%. Apenas 15% dos consumidores, em Portugal, afirmam comprar mais agora. A única categoria que contraria a tendência é a de consumidores que consideram que a forma de comprar mudou (38%), menos do que a média registada na Europa (62%).

A maioria dos inquiridos apontou o declínio do poder de compra como justificação para as  alterações nos padrões de consumo, seguindo-se a situação financeira (57%). A crise económica surge em terceiro lugar (55%) e é mais referida em Portugal do que em qualquer outro país europeu.

«Apesar de serem poucos os que consideram ter alterado o comportamento de compra, a verdade é que os portugueses colocaram um travão no consumo. Os consumidores confirmam a intensidade das restrições ao poder de compra com uma grande percentagem a comprar menos do que há cinco anos. E é com o efeito da crise que os portugueses mais justificam esta evolução do consumo», diz o director de marketing do Cetelem, Diogo Lopes Pereira.