Este domingo o Sporting Clube de Portugal entra em campo, para jogar a final da Taça, sob forte tensão. Nos bastidores, os obrigacionistas ditam os números em outro tipo de placard. Às 10:00 vão reunir-se em assembleia-geral para decidirem, no ponto único da ordem de trabalho, se aceitam passar o reembolso das obrigações de detêm, de 25 de maio, quando venceriam, para 26 de novembro.

Deliberar sobre a modificação dos termos e condições das Obrigações e, em particular, a alteração da respetiva data de reembolso de 25 de Maio de 2018 para 26 de Novembro de 2018, com alteração das cláusulas “Prazo do Empréstimo” e “Reembolso” da Ficha Técnica”, segundo o comunicado divulgado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

De resto é a segunda assembleia de obrigacionistas, convocada para o efeito, já que na primeira, marcada para 4 de maio, não houve quórum.

Caso a decisão seja a favor do adiamento fica ainda por saber se a SAD avança, à mesma, com a emissão prevista de 15 milhões a uma taxa de juro de 6% ou opta por esperar até que o clube sai da crise profunda em que está mergulhado.

Para já o que ainda está em cima da mesa é a possibilidade deste novo empréstimo obrigacionista, fazendo valer a decisão do dia 11 de maio: “No contexto do processo de análise de alternativas com vista à gestão dos seus recursos financeiros, o conselho de administração analisou a possibilidade de proceder, a breve prazo, à emissão de um outro empréstimo obrigacionista, destinado ao financiamento da sua atividade corrente, designadamente ao cumprimento de serviço de dívida e tesouraria, no montante inicial de 15 milhões de euros, que poderá ser aumentado por opção da sociedade, desde que, no conjunto das emissões obrigacionistas, a realizar até ao final do ano de 2018, não seja ultrapassado o montante total de 60 milhões de euros”, disse o comunicado de a SAD.

Nesse dia, SAD tinha também decidido “aprovar a alteração da data de reembolso das obrigações de 25 de maio de 2018 para 26 de novembro de 2018, autorizando, em consequência, a alteração das cláusulas denominadas “PRAZO DO EMPRÉSTIMO” e “REEMBOLSO” da Ficha Técnica das Obrigações.”

Assim sendo, o “PRAZO DO EMPRÉSTIMO: 3 anos e meio. REEMBOLSO: O reembolso das obrigações far-se-á ao valor nominal, de uma só vez, em 26 de Novembro de 2018.” Esta é a decisão que os obrigacionistas terão então que validar no próximo domingo.

Na mesma reunião, do dia 11 de maio, ficou também decido que, para pagar os juros desta emissão [30 milhões no total], que com o aval dos obrigacionistas passará a vencer a 26 de novembro, é intenção do conselho de administração fazer “nova oferta pública de subscrição de obrigações, cuja emissão deverá ter lugar no último trimestre de 2018.”

Contas feitas pode haver a tal emissão de 15 milhões de euros e uma outra, no último trimestre de 2018, para pagar juros obrigacionistas de vencerão a 26 de novembro. Fica por saber se o clube vai precisar de mais, desde que não perfaça os tais 60 milhões.

No que toca às ações estão hoje a recuperar ao subirem quase 5% para 0,66 euros. Já passaram de mãos 2.253 títulos. Mesmo assim, os títulos do Sporting SAD ainda não chegaram ao mínimo de 0,55 euros atingido a 14 de marco deste ano.