Se as negociações com a Anbang falharem, o Banco de Portugal vai acionar um plano de contingência que passa pelo adiamento da operação e que deverá implicar um aumento de capital, a assegurar pelo Fundo de Resolução, revela o Jornal de Negócios.

Neste momento decorrem as negociações entre os assessores financeiros e jurídicos do BdP e da Anbang, e espera-se que nos próximos dias seja possível perceber se há condições para fechar um acordo aceitável para a venda do Novo Banco.

Se o objetivo falhar, Carlos Costa pode chamar a Apollo para uma segunda ronda negocial. Mas o mais provável é que opte por uma solução de recurso, que implica suspender o processo de alienação e avançar cum uma reestruturação do Novo Banco, o que vai exigir uma injeção de capital na instituição.

As ofertas dos candidatos à compra do banco são válidas até outubro. O objetivo do BdP é fechar o dossiê da venda até ao final de agosto.