O Novo Banco vai perder 2,6 mil milhões de euros, que tinham sido emprestados pelo BES à filial em Angola. O banco que sucedeu ao BES só pode esperar recuperar cerca de 700 milhões de euros, de acordo com o plano aprovado pelo Banco Nacional de Angola para salvar o BESA.

Na operação anunciada esta segunda-feira, e analisada no gabinete de crise do Jornal das 8 pelo editor de economia da TVI, Vasco Rosendo, percebe-se como passou o BES de maior acionista do BES Angola – ao qual concedeu um empréstimo de 3,3 mil milhões de euros – para uma participação de 10%, que caberá no Novo Banco, e com perdas que rondam os 2,6 mil milhões de euros.

Este valor, que cabe no empréstimo concedido pelo BES da ordem dos 3,3 mil milhões, passou para o Novo Banco; e destes, 2,8 mil milhões serão utilizados para um aumento de capital no BESA, que apenas servirá para pagar prejuízos. O Novo Banco não perde a totalidade dos 2,8 mil milhões porque o plano do Banco Nacional de Angola prevê que sejam recuperados 712 milhões de euros.

Mas estas perdas estavam já provisionadas nos 4,9 mil milhões de euros na formação do Novo Banco; e, por isso, os 700 milhões que o banco consegue recuperar é mais do que estava à espera.