O coordenador da Frente Sindical da Administração Pública (FESAP), Nobre dos Santos, garante que as expetativas dos sindicatos são reduzidas quanto à reunião que está a decorrer por esta altura no Ministério das Finanças, com a Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas e o Orçamento do Estado para 2014 em cima da mesa da negociação.

«Temos expetativas reduzidas. Segundo o Governo, houve alguma abertura de negociação, mas uma coisa é abertura, outra coisa é resolver problemas», sublinhou o responsável.

Nobre dos Santos relembra que a FESAP considera algumas das normas propostas inconstitucionais, como a questão do horário de trabalho ou a requalificação dos funcionários público. «São questões que não criam condições favoráveis a que haja um acordo entre as partes», concluiu.