O executivo português Zeinal Bava renunciou terça-feira à presidência da companhia de telefonia brasileira Oi, revelou a própria empresa.

A informação foi oficializada na noite de terça-feira, no Brasil, em um fato relevante da Oi, divulgado ao mercado, após o fechamento da Bolsa, nota a Lusa.

Zeibal Bava assumiu a presidência da Oi em junho de 2013, acumulando o cargo de presidente da Portugal Telecom (PT), que exercia desde 2008. O gestor foi um dos responsáveis do processo de fusão das duas companhias.

Em agosto, Zeibal Bava deixou a presidência da Portugal Telecom afirmando, na altura, que pretendia dedicar-se exclusivamente ao cargo no Brasil e promover a recuperação financeira e operacional da Oi.

A imprensa brasileira refere que a renúncia terá acontecido devido ao «desconforto» causado pela operação da PT com títulos da dívida da Rioforte, holding do grupo Espírito Santo, que deixou um 'buraco' de 847 milhões de euros na telefónica portuguesa .

De acordo com o diário brasileiro «Valor Econômico», alguns acionistas brasileiros da Oi, nomeadamente as empresas Andrade Gutierrez e o grupo La Fonte, não acreditavam que Zeinal Bava desconhecia a operação como o próprio afirma.

A informação sobre a dívida e dos seus riscos só terá sido revelada aos sócios brasileiros da Oi em junho deste ano.

O diretor de Finanças e de Relações com Investidores da Oi, Bayard De Paoli Gontijo, assumirá temporariamente o cargo, até que o Conselho de Administração da companhia decida quem indicará para o posto.