A tecnológica portuguesa Ydreams entrou com um pedido de Processo Especial de Revitalizaçção (PER) no tribunal do Barreiro, com créditos reclamados no valor de 17,9 milhões de euros, para evitar a falência.

A Ydreams foi fundada por António Câmara, que foi distinguido com o Prémio Pessoa em 2006.

De acordo com a lista provisória de credores publicada pelo tribunal, o Novo Banco é o principal credor, reclamando 7,7 milhões de euros.

Também o Banco Comercial Português (BCP) e a Caixa Geral de Depósitos (CGD) são credoras, reclamando 1,4 milhões de euros e 1,6 milhões de euros, respetivamente.

Ao Instituto de Segurança Social, a Ydreams deve 1,4 milhões de euros.

O fundador reclama créditos de 381 mil euros.

A notícia de que a Ydreams tinha entrado em processo especial de revitalização foi avançada na quinta-feira pela Exame Informática.