O secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, disse hoje que a nova rota de voos regulares que ligará Viseu a Lisboa e a Faro deverá começar a operar no início do próximo ano.

«Esta é a retoma de um serviço que já não existia há alguns anos e que já nem os agentes locais esperavam que pudesse ser retomado. Faço votos para que no início do próximo ano possamos ter os voos regulares já a operar em Viseu», alegou.

Durante a cerimónia de inauguração das obras de requalificação do Aeródromo Municipal de Viseu, o governante realçou que a inclusão de Viseu e Portimão na rota que anteriormente servia apenas Vila Real, Bragança e Lisboa, não traz despesas acrescidas.

«Temos a certeza que a inclusão de Viseu nesta rota não só é compatível orçamentalmente com a realidade do país, mas também com as regras comunitárias», acrescentou.

Na sua intervenção, Sérgio Monteiro defendeu que esta é uma medida que contribui para a coesão social e do território, para o desenvolvimento de infraestruturas que são de primordial importância para a região e para o fomento da atividade económica.

«É muito importante que, na medida do possível, os governos centrais não se esqueçam do interior na hora de tomar decisões», sustentou.

O secretário de Estado dos Transportes aproveitou ainda para destacar a importância da radicação do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves (GPIAA) no Aeródromo Municipal de Viseu.

«A partir de agora, salvam-se vidas futuras em Viseu, porque aqui se trata, do ponto de vista adequado e científico, dos acidentes que acontecem, prevenindo outros acidentes que certamente não acontecerão», referiu.

O hangar cedido ao GPIAA deverá entrar em funcionamento dentro de algumas semanas e servirá para armazenar e examinar, com segurança e condições técnicas, as aeronaves acidentadas, o seu conteúdo e os seus destroços.

«Pode parecer que estamos a tratar de sucata, mas destroços de aeronaves que são acidentadas são informação valiosa para a vida das pessoas, porque trataremos de fazer investigação de como prevenir as situações que ainda não aconteceram», disse.

O presidente da Câmara de Viseu informou que foram investidos cerca de 130 mil euros na requalificação do Aeródromo Municipal de Viseu, sendo 100 mil para a pista e perto de 30 mil para o hangar destinado ao GPIAA.

«Com o concurso que está a ser preparado para as ligações aéreas, vamos ter de reforçar a iluminação, para permitir aterragens em dias de nevoeiro e de noite. Também vamos investir do ponto de vista de aparelhos de sinalização», avançou.

Viseu também passará a ter ligação ferroviária

Mas o secretário de Estado dos Transportes, também garantiu hoje que Viseu passará a ter ligação ferroviária, estando apenas por decidir qual a modalidade a adotar: a requalificação da linha da Beira Alta ou uma nova ligação.

«Viseu passará a ter ligação ferroviária, independentemente da modalidade que for seguida. A decisão está tomada, está vertida no Plano Estratégico de Transportes e Infraestruturas e será uma realidade dentro deste quadro comunitário de apoio», revelou.

Durante a cerimónia de inauguração das obras de requalificação do Aeródromo Municipal de Viseu, o representante do Governo realçou que falta agora discutir, do ponto de vista prático, «qual é a alternativa técnica».

Na mesa, está a ligação de Viseu à ferrovia através da melhoria/modernização da linha da Beira Alta ou através de uma nova ligação entre Aveiro, Viseu e Vilar Formoso.

Sobre a questão da rodovia, Sérgio Monteiro realçou que o Plano Estratégico de Transportes e Infraestruturas sinalizou como mais prioritária a ligação Coimbra - Viseu, que prevê a melhoria e transformação do IP3 em perfil de autoestrada.