O fabricante automóvel alemão Volkswagen anunciou esta segunda-feira, em comunicado, os seus planos para construir duas novas fábricas na China, investindo, com o seu parceiro local, uma verba de 2.000 milhões de euros.

O acordo entre a companhia e o fabricante chinês FAW para a construção de duas novas fábricas no maior mercado automóvel do mundo foi assinado na presença da chanceler alemã, Angela Merkel, e do primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, segundo informou, em comunicado, a Volkswagen.

As duas firmas vão investir, em conjunto, 2.000 milhões de euros para elevar a sua capacidade de produção, indicou o fabricante alemão, embora sem especificar o custo das novas unidades fabris em Tianjin e em Qingdao, ou com que montante entra cada uma das partes.

No comunicado, citado pela agência AFP, também não são facultados dados sobre a capacidade de produção anual das novas unidades nem datas para a sua entrada em funcionamento.

«Com estes investimentos, a Volkswagen está claramente a manifestar o seu compromisso para com o mercado chinês», afirmou o presidente e CEO do Volkswagen Group China, citado na mesma nota.

Angela Merkel cumpre uma visita oficial de três dias à China ¿ a sétima desde que chegou ao poder em 2005 ¿, com as relações económicas no topo da agenda.

A chanceler faz-se ainda acompanhar por uma robusta delegação empresarial, composta nomeadamente por executivos da Siemens, Airbus, Lufthansa ou do Deutsche Bank, de acordo com a imprensa alemã.