Um sapato que, mais do que para andar, é uma obra de arte para expor foi uma das novidades da indústria do calçado que o Presidente da República, Cavaco Silva, conheceu esta sexta-feira durante o dia que dedicou ao setor.

De acordo com a Lusa, a terceira jornada do «Roteiro para uma Economia Dinâmica» foi inteiramente dedicada a uma homenagem à indústria do calçado, tendo o Presidente da República passado o dia no Norte do país a visitar empresas e um centro tecnológico do setor.

Cavaco Silva, que hoje não falou aos jornalistas à margem do roteiro, teve a oportunidade de ver e conhecer a história de um par de sapatos que, mais do que para andar na rua, são uma obra de arte, uma pequena série de serigrafias que a Nobrand fez a partir de uns sapatos que o artista plástico Luio Onassis pintou à mão.

«Normalmente não é um sapato para andar na rua. É um investimento em arte. E achamos interessante ter isto em casa como um bibelô, como há quem tenha um quadro, ter um par de sapatos», explicou o CEO da empresa de Felgueiras, Sérgio Cunha, ao chefe de Estado.

Cavaco Silva, que considerou este um caso de «criatividade levada ao máximo», realçou que no Museu da Presidência, onde está tudo aquilo que tem muito valor e que se oferece ao Presidente da República, ainda não há nenhum par de sapatos, o que seria uma «surpresa» para quem visitasse.

Esta ausência vai chegar ao fim porque Sérgio Cunha comprometeu-se a fazer chegar um exemplar deste «ícone» da empresa ao Museu da Presidência, um sapato cuja venda já começou online mas brevemente vai estar em algumas lojas selecionadas, sendo a Alemanha o destino principal.

O dia de homenagem à indústria do calçado - no qual foi conhecido o acordo entre a APPICAPS e o sindicato do setor para a revisão do acordo de trabalho e consequente aumento da massa salarial - terminou com a visita ao Centro Tecnológico do calçado de Portugal, em S. João da Madeira, antecedida da empresa Carlos Santos, na mesma cidade.

Do programa fizeram ainda parte das empresas Procalçado e Grupo Kyaia.