Trabalhadores da rodoviária Carris vão parar durante seis horas na quinta-feira, período abrangido por um pré-aviso de greve e durante o qual vão realizar um plenário, mas, embora admita perturbações, a empresa informou que todas as carreiras vão circular.

Para que todos os trabalhadores possam participar no plenário, destinado a debater formas de contestar a proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2014, a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans) entregou um pré-aviso de greve para o horário das 09:30 às 15:30.

Contactada pela Lusa, fonte da Carris, que atua na Grande Lisboa, disse que não foram solicitados serviços mínimos. «As carreiras vão estar todas as circular, não vai haver paragem de nenhuma, mas poderá haver perturbações», admitiu a mesma fonte, que espera que a partir das 16:00 o serviço esteja normalizado.

«Esta paragem não vai afetar diretamente a população. Tivemos em conta os passageiros e decidimos concentrar os trabalhadores numa hora em que há menor circulação de autocarros», disse em outubro à Lusa Manuel Leal, da Fectrans.

A greve na Carris insere-se na quinzena de luta que os trabalhadores dos transportes e comunicações iniciaram a 25 de outubro e que termina no sábado com uma manifestação nacional, em Lisboa.

Também na quinta-feira fazem greve os trabalhadores da CP ¿ Comboios de Portugal e da CP Carga, durante 24 horas, e os da STCP (rodoviária do Grande Porto), entre as 08:00 e as 16:00.

Em causa está a proposta de OE para 2014, que prevê reduções salariais, concessão das empresas públicas de transporte a privados e a redução das indemnizações compensatórias, entre outras medidas.