O presidente da Câmara de Santa Marta de Penaguião disse hoje que a procura dos lotes na zona industrial, colocados à venda a um euro, superou as expectativas, com 39 propostas para 20 espaços disponíveis.

Em dezembro, o município duriense anunciou a venda ao preço simbólico de um euro os terrenos disponíveis na zona oficinal ou industrial do concelho.

Na altura, o presidente Luís Machado afirmou à Lusa que o objetivo era «facilitar a instalação de empresas no município e contribuir para a criação de empregos».

A falta de emprego neste concelho, onde a atividade predominante é a vitivinicultura, é precisamente um dos problemas mais graves e que, segundo o autarca, leva as pessoas a migrar ou emigrar.

«Entendemos que a situação é bastante difícil, quer do município quer a nível nacional, e então decidimos, como não podemos doar, vender a um preço simbólico», frisou Luís Machado.

A zona oficinal representou um investimento de cerca de dois milhões de euros, e dispõe de 24 lotes, de cerca de 500 metros quadrados cada, dos quais 20 ainda estão desocupados. Os terrenos estavam à venda a 25 euros o metro quadrado.

Cerca de dois meses depois do anúncio da medida, o autarca garante que a aposta foi ganha porque a procura «superou todas as expectativas».

«É importante o dinheiro, nós também estamos a passar por dificuldades financeiras, mas o dinheiro não é tudo e nós preferimos não ter dinheiro e ter aquele espaço ocupado», sublinhou.

Para os 20 lotes disponíveis, foram apresentadas 39 propostas de aquisição para os mais variados fins, desde a instalação de empresas de transportes, de enchidos, serralharias, armazenagem, ou ligadas à atividade agrícola.

«Esta procura revela que as pessoas acreditam nas potencialidades deste concelho», frisou Luís Machado.

A adjudicação dos lotes deverá ser feita durante o mês de março.