A companhia aérea portuguesa TAP vai reforçar as operações para a Venezuela, passando progressivamente de três para sete voos semanais durante a próxima época alta, avançou à agência Lusa fonte da transportadora.

«Vamos aumentar a frequência, dentro do planeamento normal que já tínhamos para este ano, passando de três para quatro voos a partir de 01 de junho, de quatro para cinco a partir de 01 de julho, de cinco para seis a partir de 07 de julho e a partir de 11 de julho efetuaremos um voo diário até 30 de setembro», disse a fonte.

A mesma fonte precisou que, a partir de 01 junho, haverá voos às terças, quartas, sábados e domingos e em julho passará também a haver às sextas-feiras, depois às segundas-feiras e depois todos os dias.

«Já está publicado, os agentes têm conhecimento, estão abertas as vendas, não há restrição nenhuma. No planeamento para este ano, a diferença relativamente ao ano passado é que vamos ter um voo diário, que não tínhamos, portanto há um aumento de capacidade efetiva», frisou.

Por outro lado, precisou que a taxa de ocupação dos voos da TAP entre Portugal e a Venezuela para os próximos meses ronda os 100% e que «os voos estão garantidos».

Sobre o anúncio do Governo venezuelano de alteração da cotação do bolívar com relação ao dólar, explicou que «houve alarme nos primeiros dois dias após a saída das notícias, com muita gente a ligar e a aparecer, mas depois normalizou-se».

«No nosso caso, já temos os voos praticamente todos reservados neste período de alta procura dos nossos clientes. A comunidade portuguesa já reserva com antecedência bastante grande, de 6, 7 e 8 meses», disse.

Sobre as dificuldades das linhas aéreas para efetuar o repatriamento de capitais correspondentes à venda de bilhetes (na sequência do controlo cambial em vigor, que impede a livre obtenção de moeda estrangeira no país), a mesma fonte mostrou-se esperançada numa pronta normalização da situação.