A TAP divulga esta quarta-feira prejuízos relativos a 2014 na companhia aérea e no grupo, num ano marcado por um número recorde de greves e uma operação de verão conturbada, podendo ser os últimos resultados enquanto empresa pública, nota a Lusa.

Se a intenção e o calendário do Governo se cumprirem, os resultados apresentados hoje são os últimos da companhia aérea nas mãos do Estado, já que o Executivo pretende escolher o futuro dono da TAP até ao final de junho.

Fonte do Ministério da Economia já confirmou que a companhia aérea fechou 2014 com prejuízos, depois de cinco anos consecutivos de resultados positivos. Em 2013, o lucro da TAP SA atingiu os 34 milhões de euros, um acréscimo de 42% em relação ao ano anterior.

Também o grupo TAP fechou 2014 no vermelho, mas neste caso sem surpresas, porque apesar de vir a reduzir os prejuízos ainda em 2013 teve um resultado de 5,9 milhões de euros negativos, responsabilidade da empresa de engenharia e manutenção no Brasil (ex-VEM).

Além de explicar os resultados, o presidente da TAP, Fernando Pinto, deverá ainda revelar as conclusões da auditoria às perturbações que afetaram a operação da TAP nos meses de verão.

Em janeiro, o secretário dos Transportes, Sérgio Monteiro, remeteu as conclusões da auditoria para a apresentação anual de resultados, rejeitando que as perturbações nos meses de verão possam prejudicar a privatização da empresa.

Nas últimas semanas, o Governo tem-se reunido com potenciais interessados na reprivatização da TAP, que têm até 15 de maio para entregar as propostas vinculativas à aquisição de até 66% do grupo.