Os deputados da comissão de inquérito aos contratos swap questionam esta quinta-feira o presidente do Santander Totta sobre os contratos problemáticos que o banco fez com empresas públicas sobre os quais ainda não foi possível um entendimento com o Estado.

António Vieira Monteiro será ouvido no parlamento às 10:00, um dia depois de os deputados terem questionado o diretor da consultora que avaliou os swap problemáticos contratados pelas empresas públicas, a StormHarbour Portugal, refere a Lusa.

O relatório do IGCP - Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública sobre os swap contratados por empresas públicas, que alertou para os prejuízos decorrentes deste tipo de operações, destacou o Banco Santander de Negócios (BSN) dos restantes bancos «pelo risco elevado» das suas transações.

Segundo o mesmo documento, em 2012, as perdas potenciais decorrentes das operações com o Banco Santander atingiam cerca de 1,4 mil milhões de euros, 40% do total dos prejuízos potenciais, que então ascendiam a 3,3 mil milhões de euros.

Apesar disso, o Santander Totta é o único banco com contratos considerados problemáticos com o qual o Estado ainda não chegou a qualquer entendimento até ao momento.

O Governo chegou mesmo a referir, em abril, a possibilidade de levar o Santander Totta a tribunal, mas para já a indicação é que quer manter «aberta» a via da negociação, tendo em conta a imprevisibilidade de um processo judicial.

No início de setembro, o Santander processou o Estado devido a um relatório feito pela consultora StormHarbour, a pedido do IGCP, que, alegadamente, contém erros.

Antes, no final de julho, o banco já tinha posto em causa o relatório do IGCP sobre os swap, dando um prazo à entidade para corrigi-lo, antes de avançar com outras medidas.