Os contratos swap assinados pela Refer entre 2003 e 2007, enquanto Maria Luís Albuquerque era diretora financeira, tiveram um ganho para a empresa de 400 mil euros. Nos últimos dez anos, a empresa conseguiu ganhar 31 milhões de euros.

Segundo a informação enviada à comissão parlamentar de inquérito, a que a Lusa teve acesso, o conjunto dos swap contratados pela Refer nos 10 anos entre 2003 e 2013 resultam num ganho líquido para a gestora das infra-estruturas ferroviárias de 31,1 milhões de euros, à data de junho de 2013.

Esta informação já tinha sido avançada por Maria Luís Albuquerque quando esteve na comissão de inquérito a 25 de junho.

«Desde o início em 2003, portanto nos últimos dez anos, o resultado líquido da atividade de swap acumulados é uma posição positiva de 31,1 milhões de euros de ganhos para a empresa», disse então a secretária de Estado do Tesouro no Parlamento, adiantando que «existe apenas um contrato vivo», que tem atualmente perdas potenciais associadas de 2,7 milhões, que ainda não foi fechado por não conter «uma cláusula de vencimento antecipado».

Mais escassos são os ganhos com os swap contratados enquanto Maria Luís Albuquerque era diretora do departamento de gestão financeira da Refer, cargo que exerceu entre 2001 e 2007.

De acordo com as contas feitas pela Lusa, com base no documento, o ganho líquido em junho de 2013 dos contratos celebrados entre 2003 e 2007 é de 400.776 euros.

No total, os contratos em causa resultaram num ganho de cerca de 99,3 milhões de euros para a empresa, quase totalmente anulados por perdas de 98,9 milhões de euros de outros contratos.