A imobiliária Sothebys International Realty vendeu, em 2013, 51 imóveis de luxo a estrangeiros por um valor médio de 755 mil euros, num volume de negócios de 38,5 milhões de euros, avançou hoje o diretor-geral, Gustavo Sousa.

Os compradores destes imóveis foram, maioritariamente, ingleses, franceses, brasileiros e investidores do Médio Oriente, que optaram pela Linha do Estoril, Sintra, Lisboa e Algarve, revelou o responsável, durante a apresentação dos resultados da imobiliária de luxo, no Porto.

Gustavo Sousa explicou que os ingleses preferem o produto de lazer, com a componente golfe e praia, essencialmente no Algarve, mas já começam a investir em edifícios para reabilitar nos centros das cidades.

Casas antigas com charme, reabilitadas ou por reabilitar, nos centros das cidades são a escolha dos franceses, clientes com mais de 50 anos e orçamentos entre um a dois milhões de euros.

O público brasileiro opta por apartamentos novos, com arquitetura contemporânea e mais de três quartos, num valor que ronda um milhão de euros.

O diretor-geral acrescentou ainda que os clientes do Médio Oriente procuram o visto dourado e, por esse motivo, compram apenas para rentabilizar os imóveis e ter a livre circulação no espaço Shengen.

Os compradores portugueses são, regra geral, empresários, com formação superior e um orçamento mensal de cerca de dez mil euros, frisou o dirigente.

«Os portugueses representaram 63% do total de vendedores e senhorios, o que denota que Portugal continua a atrair capital estrangeiro, beneficiando os proprietários portugueses e o país com a entrada de capital e o aumento do consumo interno», disse.

Em termos de pagamento, Gustavo Sousa revelou que apenas 5% dos clientes paga através de financiamento bancário.

Gustavo Sousa realçou que a maioria das casas vendidas beneficiaram do regime de exclusividade, demonstrando que este sistema é o que maiores probabilidades de venda proporciona.

Portugal é um país atrativo para quem procura imobiliário de luxo pela segurança, hospitalidade, geografia, clima, infraestruturas e gastronomia, avançou o diretor-geral da Sothebys.

A imobiliária tem 40 anos de existência, uma rede de 600 escritórios em 50 países e mais de 15.000 colaboradores.

Em Portugal está presente desde 2007 com quatro escritórios (Estoril, Paço d¿ Arcos, Lisboa e Algarve).

O objetivo da Sothebys International Realty Portugal é ter entre dez a 12 escritórios no país dentro de cinco anos, por isso, até ao final de 2014 prevê abrir mais dois, no Porto e no Algarve, e criar cerca de 60 postos de trabalho.

«Queremos evoluir para o norte do país porque existe muito trabalho a fazer» salientou.

A Sothebys representa e comercializa imóveis de luxo, desde apartamentos, moradias, quintas herdadas, chalés, mansões, resorts e palácios.