A Sonae Indústria registou prejuízos de 45 milhões de euros entre janeiro e setembro, numa redução de 34% face ao mesmo período do ano passado, segundo informação divulgada pela própria empresa.

Ainda nos primeiros nove meses deste ano, o EBITDA (resultado antes de juros, provisões, impostos e amortizações) da empresa do grupo Sonae caiu 28% para 51 milhões de euros, enquanto o volume de negócios cedeu 7% para 939 milhões de euros, o que a empresa atribui ao desempenho negativo da Península Ibérica.

«O resultado líquido negativo consolidado reduziu consideravelmente nos primeiros nove meses de 2013 em comparação com o período homólogo em 2012, sendo que a diminuição na geração de EBITDA (20 milhões de euros menos face ao ano anterior) e o valor mais elevado dos encargos financeiros líquidos (mais 6 milhões de euros) foram mais do que compensados pelo efeito das perdas de imparidade registadas nos nove meses de 2012, em resultado do encerramento da unidade de Knowsley, em Inglaterra, naquele período», lê-se na informação enviada pela Sonae Indústria à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A empresa justifica o aumento dos encargos financeiros com a «subida do custo médio da dívida que se fixou ligeiramente acima dos 5,6% no final do terceiro trimestre, quase 1,2 pontos percentuais acima do valor registado em setembro de 2012».

Já face ao segundo trimestre deste ano, a Sonae Indústria diz que o resultado líquido negativo aumentou três milhões de euros, «em virtude do impacto negativo das paragens sazonais no EBITDA».