A Sonae Indústria reduziu em 21% os prejuízos em 2013 face ao período homólogo para 78 milhões de euros, informou hoje a empresa após o fecho do mercado.

No mesmo período, o volume de negócios diminuiu 7% para 1.232 milhões de euros, o que é, «em parte, devido à redução da presença industrial», na sequência dos encerramentos das fábricas de Knowsley (Reino Unido) e de Solsona (Espanha) e da paragem das atividades de produção de aglomerado na unidade de Horn (Alemanha), explicou o presidente da comissão executiva, Rui Correia, no comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Já o EBITDA (resultado antes de juros, impostos, amortizações e depreciações) caiu 33% para 65 milhões de euros em 2013 em relação ao período homólogo.

A Sonae Indústria conseguiu reduzir o endividamento líquido, pelo terceiro trimestre consecutivo, para 678 milhões de euros no final de 2013, o que, acrescentou, «demonstra a resiliência da capacidade de geração de cash

flow da empresa, mesmo no atual contexto adverso».

De acordo com Rui Correia, «esta evolução foi conseguida graças a uma gestão criteriosa dos investimentos e do nível de fundo de maneio, em todas as nossas operações».

O presidente da comissão executiva referiu ainda que a empresa tem vindo a implementar «diversas iniciativas destinadas à redução da estrutura de custos».