O prejuízo da Sonae Capital passou de 11,7 milhões de euros, em 2012, para 13,2 milhões de euros em 2013, divulgou a empresas em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

De acordo com a Sonae Capital, a variação face ao período homólogo foi essencialmente justificada pelo impacto não recorrente da alteração no método de contabilização das unidades de participação do Fundo Imosede, reconhecido em 2012, e que perfez 17,1 milhões de euros positivos.

Numa base recorrente, ou seja, excluindo custos de restruturação e o impacto referido, o resultado líquido do ano melhora em 10,6 milhões de euros, para 10,9 milhões de euros negativos, acrescenta.