A Sociedade Anónima Desportiva (SAD) do FC Porto registou lucros de 20,3 milhões de euros no exercício 2012/2013, depois de ter apresentado prejuízos de 35,7 milhões em 2011/2012, anunciou em comunicado.

Em termos operacionais, os resultados da empresa também voltaram a ser positivos, de 31,7 milhões de euros, quando no exercício anterior tinha tido prejuízos de 26,4 milhões de euros.

Os custos com a compra e venda de passes de jogadores pesaram mais nas contas deste exercício, com o valor desembolsado a atingir os 96,5 milhões de euros, mais 5 milhões do que na época anterior. Um aumento que se deveu sobretudo ao crescimento dos gastos com pessoal, «que aumentaram devido ao regresso da equipa B».

Mas também os proveitos obtidos com os passes aumentaram, de 72,1 para 78,4 milhões de euros, essencialmente devido «ao crescimento das receitas pela participação nas provas europeias».

Contas feitas, só os resultados das transações dos passes representaram um lucro de 76,4 milhões de euros, mais 155% face ao ano anterior.

As necessárias amortizações e perdas de imparidade relacionadas com os passes também foram reduzidas, passando de 36,3 milhões de euros no exercício de 2011/2012, para 26,5 milhões este ano.

Os passes dos jogadores foram a grande receita das operações da SAD do Porto, já que a exclusão deste negócio coloca os resultados operacionais da Sociedade Desportiva no negativo, ao apresentar um prejuízo operacional de 18,1 milhões de euros, ainda assim menor que os 19,2 milhões relativos ao exercício que teve início em 2011.

O lucro líquido obtido no exercício agora terminado permitiu um crescimento do capital próprio da SAD do FC Porto, que atingiu, a 30 de junho, os 9,8 milhões de euros em termos individuais, enquanto o ativo total líquido cresceu 17,1 milhões face a 2012, passando para 227,8 milhões, graças às vendas efetuadas.

A SAD conseguiu também reduzir o passivo da empresa em 3,1 milhões de euros, tendo atualmente 220,2 milhões de euros.