A companhia aérea low cost irlandesa Ryanair anunciou esta quinta-feira a abertura de uma nova base e mais quatro rotas em Lisboa a partir de abril.

O anúncio foi feito pelo diretor comercial da Ryanair, David O¿Brien, que hoje fez um balanço dos primeiros dois meses desde o início da atividade da transportadora irlandesa em Lisboa.

Esta será a terceira base portuguesa, depois de Faro e do Porto, com a Ryanair a estimar a criação de 900 empregos para Lisboa, segundo o comunicado divulgado aos jornalistas na conferência de imprensa.

As quatro novas rotas (Dole e Marselha, em França, Manchester, no Reino Unido, e Piza, em Itália), somam-se às cinco já existentes (Bruxelas, Dublin, Frankfurt, Londres e Paris).

A Ryanair passará, assim, a fazer 124 voos semanais a partir da capital.

Segundo David O¿Brien, o objetivo é transportar 900 mil passageiros ao ano a partir de Lisboa e chegar aos cinco milhões de passageiros em Portugal.

O responsável da Ryanair sublinhou que Lisboa está «mal servida» em termos de transporte aéreo, considerando que o principal obstáculo ao crescimento do tráfego são as taxas aeroportuárias.

David O¿Brien congratulou-se com o facto do aeroporto de Lisboa ter sido «libertado da gestão do Governo» e passado para mãos privadas, considerando que a Ryanair não pôde concretizar todo o seu potencial no verão passado.

Segundo o responsável, a transportadora aérea está neste momento numa fase de «consulta» com os novos donos do Aeroporto de Lisboa para se perceber o que querem.

«Se querem novas rotas, temos que ter uma nova estrutura de preços que garanta isso», exemplificou.