Um tribunal francês condenou a Ryanair a pagar cerca de 10 milhões de euros em indemnizações e juros por violar as leis do trabalho, bem como uma multa de 200 mil euros.

A companhia aérea de baixo custo enfrentava várias acusações entre as quais registar os funcionários empregados em França como trabalhadores irlandeses, impedir o funcionamento dos plenários e impedir o acesso aos sindicatos, no aeroporto de Marseille-Marignane (sul de França) perto das cidades Marselha e Aix-en-Provence.

A Ryanair empregou 127 funcionários naquele aeroporto sem aplicar as leis laborais francesas, nem preencher as declarações de impostos no país, refere a Lusa.

Entre as partes civis do processo incluem-se a segurança social, a caixa de aposentações e sindicatos do pessoal de voo.

A Ryanair foi também condenada a pagar uma multa de 200 mil euros.

O Ministério Público pediu o confisco simbólico dos quatro Boeing 737 que a Ryanair estacionou no local, entre 2007 e 2010, por considerar que a multa máxima aplicável (225 mil euros) era «ridícula» para a Ryainar, mas o tribunal recusou o pedido.