José Maria Ricciardi, presidente do BES Investimento, que era apontado como possível sucessor do primo Ricardo Salgado na liderança do BES, anunciou hoje que se vai dedicar ao desenvolvimento do banco de investimento através de um aumento de capital.

BdP só avalia nova gestão do BES depois de aprovada pelos acionistas

Conheça os novos nomes da gestão do BES

Ricardo Salgado: o banqueiro há mais tempo no ativo

«José Maria Espírito Santo Silva Ricciardi, vem transmitir publicamente que irá optar por desenvolver a sua carreira bancária no Banco Espírito Santo de Investimento, onde exerce o cargo de presidente da comissão executiva, apostando num projeto de natureza estratégica que pressupõe a separação da banca de investimento da banca comercial», lê-se numa declaração do responsável.

Esta opção está em «harmonia com o modelo de governance [governação] que tem vindo a ser desenvolvido no mercado bancário internacional», realçou Ricciardi.

O banqueiro sublinhou que «tendo já sido reconhecida a sua idoneidade pela entidade de supervisão [Banco de Portugal] e o registo do seu mandato, propõe-se desenvolver uma parceria internacional que passará por um aumento de capital de significativa envergadura no Banco Espírito Santo de Investimento».

Segundo o responsável, este reforço de capital «contribuirá não só para o reforço da implementação da instituição e da sua capacidade de intervenção no mercado, como ainda para a obtenção de consideráveis benefícios para a economia nacional».

Este anúncio de Ricciardi surge no dia em que se confirmou a iminente saída de Ricardo Salgado da liderança do Banco Espírito Santo (BES).

Isto, através de um comunicado que faz o agendamento de uma

assembleia-geral extraordinária do BES para 31 de julho, na qual os acionistas serão confrontados com as propostas do principal acionista do banco, o Espírito Santo Financial Group (ESFG), com 25,1%, entre as quais se destaca a saída do líder histórico Ricardo Salgado da presidência do banco.

O banqueiro deverá ser substituído na liderança da instituição por Amílcar Morais Pires, atual administrador financeiro, mas não vai dizer adeus à instituição.

Isto, porque caso os acionistas assim o aprovem na reunião magna, vai a presidir um novo órgão do banco, o conselho estratégico, que contará também com José Maria Ricciardi, entre outros.

Na reunião magna será decidida uma alteração dos estatutos do BES, «de modo a criar um novo órgão estatutário, denominado conselho estratégico, destinado a assistir o conselho de administração na definição da estratégia societária», lê-se num comunicado hoje enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A ESFG propõe que, para o novo órgão, sejam eleitos Ricardo Salgado, como presidente, José Manuel Espírito Santo Silva, José Maria Ricciardi, Ricardo Abecassis e Pedro Mosqueira do Amaral. Todos estes responsáveis integram atualmente o conselho de administração do BES e vão manter-se em funções até à data da assembleia geral.

Daí em diante, se os acionistas derem luz verde às mudanças propostas, estes cinco responsáveis, que representam os cinco ramos do GES - quatro da família Espírito Santo e um de Mosqueira do Amaral -, deixam os seus cargos no conselho de administração.

No final do ano passado, tornaram-se públicas as disputas pela liderança do BES entre Ricardo Salgado e José Maria Ricciardi, presidente do BES Investimento e administrador do BES.