A REN registou um lucro de 121,3 milhões de euros em 2013, uma queda de 1,8% em relação ao ano anterior, anunciou hoje a empresa liderada por Rui Cartaxo.

No mesmo período, o EBITDA (resultados antes de impostos, juros, depreciações e amortizações) situou-se nos 521,5 milhões de euros, um crescimento de 1,9%.

«O EBITDA registou uma melhoria, mas ainda assim foi penalizado pela perda de 29,3 milhões de euros nos proveitos, provocada por uma menor taxa de remuneração média aplicada sobre os activos da electricidade em 2013», refere a REN no comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A empresa acrescenta que «o ligeiro decréscimo do resultado líquido mostra que o EBITDA não foi suficiente para superar todo o impacto provocado pelos custos financeiros líquidos mais elevados na sequência do aumento da dívida bruta».

O resultado financeiro agravou-se em 6,2 milhões de euros em 2013, atingindo -142,2 milhões de euros.

«Esta evolução foi penalizada pela subida da dívida bruta, para assegurar um nível mais elevado de liquidez média.

Ainda assim, o custo médio da dívida baixou de 5,7% no final de 2012, para 5,5% em 2013», adianta a REN.

Segundo o comunicado, o Conselho de Administração da REN vai propor, na próxima assembleia geral de acionistas, o pagamento de um dividendo de 17,1 cêntimos por ação relativo a 2013, acima dos 17 cêntimos por ação do exercício anterior.