O processo de reestruturação da BP Portugal, iniciado em 2006, levou à saída de 200 trabalhadores, disse o novo presidente da empresa, Pedro Oliveira, citado pela Lusa.

«Desde 2006, saíram cerca de 200 pessoas. Ficaram 200», afirmou Pedro Oliveira, num encontro com a imprensa, salientando que o processo foi feito «com a maior tranquilidade e paz social dentro da empresa».

Questionado sobre os resultados da petrolífera, o presidente da BP Portugal mostrou-se confiante num regresso ao lucro em 2013: «Quero acreditar que a BP Portugal este ano terá resultados positivos», afirmou.

A BP Portugal encerrou o exercício de 2012 com um prejuízo de cerca de 54,2 milhões de euros, segundo o relatório e contas disponível na página da empresa na internet.

Pedro Oliveira, que assumiu a presidência do Conselho de Administração da BP Portugal a 01 de julho, disse que «o mercado de combustíveis tenderá a contrair-se no tempo», mas afirmou sentir-se «muito confortável para gerir essa vicissitude».

O responsável afirmou que a BP Portugal é o segundo operador de mercado e adiantou que a empresa «não tem uma agenda de aumento de quota de mercado», o que, ressalvou, «não quer dizer que isso não aconteça».