Mais de 80 por cento do volume de negócios da hospitalização privada em Portugal está nas mãos dos grupos Mello Saúde, Espírito Santo Saúde, Lusíadas e Trofa Saúde.

Dados da Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP), a que a Lusa teve acesso, indicam que esta área tem um volume de negócios anual superior a 1.500 milhões de euros.

Grupo Mello convicto que «OPA não representa problema de concorrência»

Deste volume, 83% é gerado por quatro grupos: Mello Saúde (495 milhões de euros em 2013), Espírito Santo Saúde (373,6 milhões de euros em 2013), Lusíadas (290 milhões em 2013) e Trofa Saúde (90 milhões em 2013).

Estes valores incluem os resultados das Parcerias Públicos Privadas (PPP) detidas por alguns destes grupos, como é o caso da ESS (Hospital Beatriz Ângelo, em Loures) e Lusíadas (Hospital de Cascais).

«Nem sempre o maior volume de negócios traduz o maior número de atendimentos e/ou consultas a doentes», esclarece a APHP.

O grupo José de Mello Saúde anunciou esta quinta-feira o lançamento de uma oferta pública de aquisição da Espírito Santo Saúde , cujo investimento total poderá chegar aos 420 milhões de euros.

A oferta, concorrente do grupo Ángeles, foi comunicada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários e implica uma contrapartida de 4,40 euros por ação, estando condicionada à aquisição de, pelo menos, 50,01% do capital da ES Saúde.