A PT admite não conseguir obter o pagamento dos quase 900 milhões de euros que a Rioforte, do Grupo Espírito Santo (GES), deve à empresa e alerta que isso terá impacto significativo na «situação financeira e liquidez» da operadora.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), no âmbito da proposta do conselho de administração para a assembleia geral de 08 de setembro, a PT lembra que «a Rioforte não reembolsou os instrumentos Rioforte que a Portugal Telecom irá adquirir no âmbito da permuta [com a Oi]» e admite que «é possível» que a operadora «não consiga obter o pagamento de quaisquer dos montantes pendentes em virtude desses instrumentos», refere a Lusa.

No âmbito dos contratos definitivos que a PT poderá celebrar com a brasileira Oi, relativos à permuta e opção de compra, no sentido de permitir a combinação de negócios, «está previsto que a PT adquira, em contrapartida da alienação das ações objeto da opção de compra, os instrumentos Rioforte».

O primeiro vencimento dos instrumentos Rioforte aconteceu a 15 de julho, no montante de 847 milhões de euros, e em 17 de julho venceu o remanescente de 50 milhões de euros, mas «a Rioforte não reembolsou esses instrumentos» na data prevista, pelo que «se encontra numa situação de incumprimento».