O prejuízo da Martifer recuou 21% no primeiro semestre, face a igual período de 2013, para 38 milhões de euros, anunciou o grupo que administra os Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC).

Nos primeiros seis meses do ano passado, o prejuízo tinha ascendido a 48,7 milhões de euros.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), escreve a Lusa, o grupo Martifer refere ainda que os proveitos operacionais recuaram 44%, para 167 milhões de euros, e os resultados antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) foram negativos em 3,3 milhões de euros, o que compara com um valor positivo de 2,3 milhões de euros um ano antes.

A Martifer adianta que do total de proveitos operacionais, de 167 milhões de euros, mais de metade (56%) respeitam ao «segmento de construção metálica, 32% ao segmento solar e o remanescente ao segmento RE Developer».

Os proveitos do segmento construção metálica foram de 94,3 milhões de euros no final do primeiro semestre, a solar ascendeu a 53,5 milhões de euros e a RE Developer 19,4 milhões de euros.

«O grupo mantém a estratégia de internacionalização», salienta a Martifer, que adiantam que 46% dos proveitos provém da União Europeia, 19% de Portugal, 18% da América, com a África a representar 9% e a Ásia 5%.

O grupo lembra que no âmbito do concurso público internacional foi adjudicado ao consórcio composto pela Martifer Energy Systems e pela Navalria, empresas integrantes da Martifer, a subconcessão da utilização privativa do domínio público e das áreas afetas à concessão dominial atribuída à ENVC.

«O grupo Martifer, através da sua nova subsidiária West Sea ¿ Estaleiro Navais, Lda, pretende desenvolver a sua atividade no mercado nacional e internacional e implementar um projeto de construção e reparação naval, no âmbito do qual se prevê a criação de cerca de 400 novos postos de trabalho ao longo dos próximos três anos», refere o grupo em comunicado, adiantando que com esta subconcessão «aumenta a sua capacidade de construção e reparação naval».

A assinatura deste contrato aconteceu em janeiro deste ano.

No comunicado, a empresa lembra que em julho a maioria dos ativos da Martifer Solar USA foram vendidos à BayWa, por 7,6 milhões de dólares (cerca de 5,7 milhões de euros, à taxa de câmbio atual).

Ainda no mês passado, a Martifer Solar construitu um novo parque de oito megawatts na região de Vinnytsia, naa Ucrânia, e que constituiu a sociedade Âncora Wind - Energia Eólica, que visa concretizar a parceria entre a Ventinveste e a Ferrostaal para o desenvolvimento de projetos eólicos num total de 171 megawatts.

O início da construção está previsto para o final deste ano, adianta o grupo.

Em agosto, a Martifer SGPS decidiu avançar com a venda da participação que detinha na Nutre, SGPS, «tendo no início do terceiro trimestre acordado, no âmbito de uma proposta de investimento nessa sociedade apresentada pelo grupo Orchadia, a transmissão daquela participação».

A concretização da operação «está sujeita ainda ao cumprimento de diversas condições, incluindo, entre outras, decisões de autoridades governamentais», refere, adiantando que «o valor da transmissão está em linha com o valor do investimento financeiro».