Lisboa, Madeira e Açores são as regiões do país onde as expectativas dos hoteleiros são «mais elevadas» em relação ao comportamento do setor durante as semanas da Páscoa, indicou o presidente da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP).

Segundo a Lusa, de acordo com Luís Veiga, os empresários da hotelaria estão em geral «otimistas» em relação à época da Páscoa, face ao mesmo período em 2014. Este ano, a época pascal iniciou-se no passado sábado, 21 de março, e vai-se prolongar até dia 05 de abril.

Para a região madeirense, o principal mercado deverá ser o alemão, «com um comportamento acima da média», enquanto em Lisboa se destacam «os turistas espanhóis», detalhou Luís Veiga, em declarações à Lusa.

Quanto aos Açores, «as expectativas muito elevadas» dos hoteleiros açorianos, especialmente em relação ao fim de semana da Páscoa, parecem estar ligadas ao início dos voos da Ryanair e da easyJet para a ilha de São Miguel, no próximo domingo.

Lembrando os resultados de um inquérito que foi recentemente realizado pela AHP junto das empresas do setor quanto às previsões para a Páscoa, Luís Veiga indicou também que os hoteleiros portugueses esperam «algum aumento das receitas totais e de alojamento», face ao ano passado.

No entanto, quanto à taxa de ocupação prevista para as unidades hoteleiras durante este período, «não vai ser substancialmente maior» do que na Páscoa de 2014, quando andou «entre os 40 e os 50%».

«É claro que a nível nacional há hotéis diferenciados, que conseguem bons resultados nesta época, com taxas de ocupação de 80%», referiu também o mesmo responsável.

Questionado sobre a evolução dos preços no setor, Luís Veiga considerou que o rendimento por quarto disponível (RevPar), um dos indicadores mais importantes, «ainda não está ao nível de 2007», até porque entretanto houve um aumento importante de camas disponíveis nos hotéis e no alojamento local (hostels, apartamentos e moradias).

De acordo com os números do inquérito realizado pela AHP entre os dias 05 e 12 de março, na Madeira e em Lisboa, 63% e 62% dos empresários que responderam antecipam melhores resultados nas receitas totais desta Páscoa, face à de 2014, enquanto relativamente à taxa de ocupação os hoteleiros mais otimistas são os dos Açores (50%) e os do Centro (49%).