Oito homens foram detidos por suspeita de terem roubado 1,3 milhões de libras (1,5 milhões de euros) através de pirataria informática a uma agência do banco Barclays em Londres, anunciou hoje a polícia britânica.

Os homens, com idades entre os 24 e os 47 anos, foram interrogados hoje e na quinta-feira e ficaram em prisão preventiva em várias esquadras da polícia em Londres, referiu a mesma fonte.

O ataque, efetuado em abril, visou uma sucursal do Barclays em Swiss Cottage, no norte de Londres.

A polícia encontrou instalado num dos computadores da sucursal um aparelho que permite assumir o controlo de computadores à distância.

O aparelho foi instalado por um homem que se fez passar por um engenheiro informático encarregado da manutenção do banco, referiu ainda a polícia.

Esta estratégia permitiu aos piratas informáticos concretizar o roubo através da transferência à distância de dinheiro para as suas contas.

Na semana passada, a polícia anunciou que tinha descoberto uma tentativa de pirataria informática similar contra uma agência do banco Santander no sudeste de Londres. Na altura adiantou que tinham sido detidos 12 homens, dos quais quatro foram acusados.

Polícias fizeram hoje várias buscas em residências de Londres e no Essex, leste da capital britânica.

A polícia confiscou dinheiro em cash, jóias, droga, «milhares de cartões de crédito» e dados pessoais, refere o comunicado da polícia, precisando que um endereço no centro de Londres era considerado como o centro de «controlo» das fraudes.

«Os responsáveis por este delito pertencem a uma importante rede criminosa sofisticada e determinada, e utilizaram capacidades técnicas consideráveis e 'know how' criminoso para infiltrar e explorar sistemas bancários seguros», declarou o inspetor Mark Raymond, da unidade da Scotland Yard especializada na criminalidade 'online'.

O Barclays recuperou parte considerável do dinheiro roubado.