O diário Observador tem previsto o lançamento para 19 de maio, para «informar com rigor e pôr as pessoas a pensar», disse à agência Lusa o diretor daquela plataforma digital, David Dinis.

O jornal «online», que tem uma equipa de cerca de 40 profissionais, dos quais 24 jornalistas, pretende «ser rápido no que for de mais importante» na atualidade, mas com a preocupação de «cuidado antes de escrever».

«Não nascemos para publicar tudo. Queremos dar os temas principais e dá-los bem, ajudando as pessoas a pensar e explicando às pessoas tudo», realçou David Dinis, acrescentando que as notícias serão tratadas «de uma maneira atrativa e apelativa».

Com funcionamento sem interrupções, «sete dias por semana e 24 sobre 24 horas», o Observador pretende interagir com os leitores, «percebendo os seus interesses», explicou.

O jornal «online» tem como diretor David Dinis, ex-editor de política do semanário Sol, enquanto o historiador Rui Ramos é o coordenador do Conselho Editorial e Diogo Queiroz de Andrade exerce as funções de director criativo.

José Manuel Fernandes, antigo diretor do diário Público, é o editor da nova plataforma.

O diário «online», que tem já uma página experimental (www.observador.pt), define-se como um meio de comunicação digital 100 por cento português, que nasce «sem os condicionamentos do papel e assume o seu caráter inovador».

David Dinis assinalou essa «vantagem competitiva» de os jornalistas estarem exclusivamente «dedicados ao "online"» e sublinhou que o Observador privilegiará «a comunicação e interação com os eleitores».