O plano estratégico do Novo Banco começou a ser elaborado esta quarta-feira, com a assessoria da consultora McKinsey, revela o Diário Económico.

E a administração da instituição sublinha que o banco está no mercado para ficar e não para ser vendida de forma apressada.

Essa posição foi expressa numa mensagem enviada aos colaboradores, e fala numa visão «que se traduza num crescimento sustentado de receitas, numa melhoria da produtividade comercial e das funções de suporte, de utilização eficiente dos recursos necessários e de otimização de base do capital».

Recorde-se que o Governo, o Banco de Portugal e a banca que contribui para o Fundo de Resolução preferiam uma venda rápida, eventualmente repartindo os seus ativos por vários investidores.

O presidente da instituição, Vítor Bento, tem defendido que o Novo Banco não deve ser um mero banco transitório, mas um player de direito próprio.