Angela Leong, líder da Sociedade de Jogos de Macau e mulher do magnata Stanley Ho, recebeu esta quarta-feira o prémio de Empresária do Ano na primeira edição dos Business Awards da associação dos leitores da revista Macau Business.

Na gala de entrega dos galardões, que teve lugar no hotel-casino Grand Lisboa, foram distinguidas nove personalidades, empresas ou instituições em igual número de categorias que foram selecionadas por um júri entre um total de 140 candidatos iniciais, nota a Lusa.

O júri formado por 27 «personalidades bem reconhecidas pela sua competência profissional e posição social», segundo a organização, escolheram inicialmente 42 finalistas, dos quais 33 foram hoje distinguidos com o prémio de Excelência, tendo ainda sido revelados os nove grandes vencedores.

Angela Leong foi distinguida na categoria de Empresária do ano, enquanto o vice-presidente da marca hoteleira francesa Sofitel para a Grande China Michel Molliet, que é também o diretor-geral do Sofitel Macau, venceu o prémio de Liderança.

Norris Man, presidente do grupo Centroid, que gere os franchising de marcas como a Subway e Dairy Queen em Macau, foi considerado como o Jovem Empresário do ano da Região Administrativa Especial chinesa e o professor do departamento de computação e ciências informáticas da Universidade de Macau U Seng Pan recebeu o prémio de Investigação.

Os prémios de Inovação e de Desempenho Ambiental foram atribuídos à empresa Macau Pass, o de Responsabilidade Social à operadora de jogo Melco Crown Entertainment, liderada por Lawrence Ho, filho do magnata Stanley Ho, e o de Pequena e Média Empresa do Ano à Chessman Entertainment Production.

A Associação de Reabilitação de Toxicodependentes de Macau foi considerada como a organização não-lucrativa do ano.

Apenas três membros do júri votaram em cada uma das nove categorias, não tendo nenhum membro votado em mais de uma categoria. Cada membro do júri não conhecia a identidade dos restantes, de modo a garantir uma decisão independente, explicou a organização.

O presidente da associação dos leitores da revista Macau Business, Paulo A. Azevedo, disse na gala que esta primeira edição dos galardões «foi apenas o início», prevendo a «continuação e reforço deste programa de mérito nos próximos anos».