Os familiares diretos dos antigos administradores do BES, designadamente os membros da família Espírito Santo, noticia o «Jornal de Negócios».

No entanto, para isso, terão que provar que os fundos que tinham depositados na instituição eram fruto do seu trabalho.

Ao que o «Jornal de Negócios» apurou, está a ser preparada uma solução que permita que os depósitos que ficaram cativados no BES sejam devolvidos aos titulares que façam prova de que esses fundos resultaram de rendimentos de trabalho e que não estão relacionados com qualquer atividade desenvolvida pelos gestores que são seus familiares em primeiro grau