O lucro da McDonalds caiu 5,1% no primeiro trimestre do ano para 1.205 milhões de dólares (872 milhões de euros), face a igual período do ano passado, anunciou hoje a cadeia de restaurantes de comida rápida norte-americana.

O resultado líquido registado no primeiro trimestre de 2013 ascendeu a 1.270 milhões de dólares (919 milhões de euros), o que se ficou a dever à queda do negócio em 1,7% registada nos Estados Unidos, apesar de ter crescido 1,4% na Europa e 0,8% no conjunto das regiões da Ásia/Pacífico, África e do Médio Oriente, segundo um comunicado difundido pela multinacional.

O volume de negócios da McDonalds aumentou 1,4% nos três primeiros meses deste ano para 6.700 milhões de dólares (4.847 milhões de euros), contra os 6.605 milhões de dólares (4.778 milhões de euros) no primeiro trimestre do ano passado.

O Reino Unido, França e a Rússia foram os países que contribuíram para que o volume de negócios na Europa registasse uma evolução positiva, com a Alemanha a registar um desempenho débil.

«A combinação de promoções únicas e limitadas no tempo e preços mais razoáveis justificaram o desempenho favorável a nível da multinacional a nível da Europa», salienta-se no comunicado.

No futuro próximo, a McDonalds espera estabilizar os mercados dos Estados Unidos, Alemanha, Austrália e do Japão, que têm «um grande peso» no negócio da multinacional de comida rápida.

O presidente-executivo da empresa, Don Thompson, afirmou que a McDonalds vai continuar a afirmar como uma marca com «destaque e que transmite confiança», além de servir «comida com qualidade a preços acessíveis» e apresentar novas propostas de consumo aos clientes.