A McDonald's anunciou hoje que vai fechar temporariamente os três restaurantes em funcionamento na Crimeia, no seguimento da anexação da península ucraniana à Rússia, argumentando com «razões de produção fora do controlo da empresa».

O encerramento temporário foi anunciado no site ucraniano da companhia, que explica que a decisão foi tomada devido a «razões de produção fora do controlo da empresa», e promete reabrir as unidades «assim que for possível».

Para além de oferecer emprego aos habitantes da península da Crimeia nas unidades mais a Oeste, a McDonald's oferece-se também para suportar os custos de realojamento das famílias dos trabalhadores.

A decisão do gigante alimentar norte-americano, de acordo com a análise da agência espanhola Efe, é sintomática da incerteza que as grandes multinacionais enfrentam relativamente às decisões estratégicas que envolvam a Rússia, no seguimento da intervenção militar na Ucrânia.

Washington e Bruxelas impuseram ambos medidas punitivas contra Moscovo e ameaçaram com sanções económicas mais abrangentes que podem afetar as operações na Rússia não só da McDonald's, mas também de outras grandes empresas.