Cerca de 3.500 cidadãos estrangeiros investiram no primeiro trimestre de 2014 no imobiliário português, «representando este valor cerca de 14% do total de imóveis transacionados neste período», segundo a APEMIP.

Segundo informação hoje divulgada pela Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), com base em dados do seu gabinete de estudos, os britânicos (25% do total dos investidores), chineses (16%) e franceses (16%) são dos que mais procuram o mercado nacional.

Para Luís Lima, presidente da APEMIP, os dados são «uma prova de que o Regime Fiscal para Residentes Não Habituais tem captado um largo número de investidores».

«Apesar da Autorização de Residência para Investimento ser um programa mais popular, são os cidadãos europeus que mais procuram Portugal», comentou o responsável, que prevê que o investimento estrangeiro no imobiliário português represente entre 1,5 a 2 mil milhões de euros durante este ano.

O investimento previsto é «facilmente multiplicável, pois há outros sectores a beneficiar do investimento feito em imobiliário», segundo Luís Lima, exemplificando com as áreas da saúde, restauração e turismo.