"Todos os segmentos de negócio operacionais foram capazes de aumentar os seus resultados no primeiro trimestre. Acima de tudo, a SWISS e a Lufthansa Cargo tiveram um melhor desempenho do que no ano anterior", sublinhou a chefe do departamento financeiro, Simone Menne, em comunicado, citado pela Lusa.

A transportadora indicou que, entre janeiro e março, os prejuízos operacionais baixaram um terço (33,6%) para 144 milhões de euros, tendo as receitas aumentado, em termos anuais, 7,9% para 6.973 milhões de euros.

Os seis dias de greve dos pilotos durante os primeiros três meses do ano tiveram um custo avaliado em 42 milhões de euros, segundo a Lufthansa, que prevê que a paralisação tenha impacto nos resultados do segundo trimestre na ordem dos 58 milhões de euros devido à diminuição das reservas de voos.